Mude de banco

Insatisfeito com a postura do seu banco?
Você pode pensar em mudar para um banco que atue de forma mais satisfatória. É mais fácil do que você pensa.

 

Mudança de banco: como funciona?

Escolher um banco é uma responsabilidade grande, demanda tempo, pesquisa e paciência. Porém, esta não precisa ser uma relação eterna. Nunca é tarde para conhecer outra instituição e estabelecer novos vínculos. A troca, inclusive, fortalece a concorrência e reduz os vícios estabelecidos por longos períodos de relacionamento, onde o banco já não oferece nada de novo e trata o consumidor com um número programado para contratar produtos financeiros.

Por isso, caso você não tenha gostado da classificação do seu banco atual no GBR 2016, ou se você quer só experimentar outro modo de receber seu salário, investir e fazer pagamentos: troque de banco.

Para mudar de banco é necessário:

1) Pesquisar para qual banco você deseja ir
2) Comparar os preços dos serviços oferecidos pelo outros bancos (tarifas e taxa de juros)
3) Verificar se você tem alguma pendência (dívida, financiamento, recebimentos) que dependam exclusivamente do banco atual
4) Verificar as condições da nova instituição para portabilidade de crédito, se for o caso.
5) Após tudo verificado, basta encerrar devidamente sua conta no banco atual (veja como a seguir)
6) Ao abrir uma nova conta em outro banco, fique atento ao direito de escolha do pacote de serviços que atenda à sua necessidade, solicite a cópia do contrato e o termo de adesão aos serviços contratados

Não se esqueça de escolher bem que tipo de conta você quer abrir (salário, corrente, serviços essenciais, pessoa física ou jurídica) e qual dos pacotes (ou cesta) de serviços mais combinam com seu estilo de vida. Os bancos podem configurar os pacotes de acordo com sua estratégia de mercado, mas desde 2013, o Banco Central determinou que todos os bancos disponibilizem quatro pacotes denominados padronizados. O pacote padronizado de cada banco deve ter a mesma quantidade de serviços para garantir o direito de comparar as tarifas praticadas pelos bancos. Verifique aqui qual é o pacote mais adequado à sua necessidade e exija o seu direito. E atenção: o gerente não pode impor o pacote para o consumidor de acordo com sua renda, por exemplo.

Dica: Mesmo que você tenha uma dívida em um banco, você pode abrir conta em outro e inclusive fazer a portabilidade do valor emprestado. Conheça as novas regras para portabilidade de crédito, vigentes desde maio de 2014, aqui.

Contudo, os bancos podem se recusar a abrir uma conta, mas precisam justificar isso. Eles também podem se recusar a dar crédito aos consumidores, principalmente se ele estiver inadimplente em outra instituição, mas fique atento aos seus direitos!

Atenção: na hora de assinar o contrato, preencha o formulário com cuidado e não deixe nenhum campo em branco; inutilize com um risco todos os itens que não precisam de resposta; não assine nenhum documento em branco.

 

Saiba como encerrar sua conta

Para encerrar uma conta corrente não basta somente zerar o saldo, pois o banco continuará realizando a cobrança de tarifas. Quando decidir finalizar a relação com o banco, formalize o seu desejo de encerrar a conta pessoalmente na agência e por escrito.

Isso pode ser feito em um formulário específico do banco ou por meio de uma carta assinada pelo correntista. Se a conta for conjunta, o pedido deve conter a assinatura de todos os titulares (ou seus procuradores).

Na hora do encerramento, verifique se existe contas em débito automático e comunique a mudança ao fornecedor. O gerente deverá verificar a suspensão da cobrança de tarifas e calcular o saldo para zerar a conta. No ato, você precisará entregar o talão de cheques e o cartão magnético, ambos inutilizados, ou seja, rasgue as folhas e quebre o cartão. Solicite um protocolo de encerramento e guarde-o.

 

Não deixe sua conta inativa!

Se a conta não for movimentada pelo cliente por mais de 90 dias, o banco deverá comunicar a situação ao correntista, alertando-o de que a tarifa de manutenção continua incidindo sobre a conta e avisando que, se o período de inatividade chegar a seis meses, ela poderá ser encerrada.

Durante esse período de seis meses, as tarifas de manutenção e encargos continuarão incidindo sobre a conta. Após esse prazo, caberá ao banco suspender a cobrança das tarifas e encargos, mas esse processo não zera o saldo devedor gerado no período, acarretando a inclusão do nome do consumidor no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Caso o consumidor tenha problemas no encerramento ou abertura de conta e não consiga resolvê-lo diretamente com o próprio banco através do Serviço de Atendimento ao Consumidor - SAC e Ouvidoria, poderá recorrer ao Procon, registrar uma queixa no Banco Central ou ir à Justiça. Saiba como aqui.

Saiba mais sobre encerramento de contas aqui. 

Obrigado por compartilhar

Sua mensagem foi enviada com sucesso

×