Como é a pontuação dos Bancos em

Todas as informações sobre o tema Direitos Humanos

No tema “Direitos Humanos” são avaliadas principalmente as exigências que os bancos colocam para as empresas que financiam ou nas quais investem. Os elementos avaliam se há exigência de que essas empresas tenham um processo para identificar, prevenir e mitigar impactos negativos nos direitos humanos que suas atividades e projetos podem gerar. Também há consideração a direitos humanos específicos, como os das crianças. Na página de metodologia, todos os elementos de avaliação estão listados na íntegra.

Há um mínimo de 0,6 de nota, devido à pontuação por legislação, referente ao direito originário às terras indígenas e usufruto exclusivo reconhecido na Constituição Federal brasileira. O patamar sobe para 2,5 somando-se os pontos automáticos para os bancos que aderem aos Princípios do Equador e Padrões de Performance do IFC.

O principal documento de referência do tema de direitos humanos, no contexto da avaliação de política, é uma iniciativa da ONU, os Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos. Eles são o manual básico que uma empresa deve seguir para garantir os direitos humanos e mitigar seus impactos na sociedade.

Somente quatro bancos mencionam os Princípios Orientadores como fonte de inspiração ou alinhamento de suas políticas de direitos humanos: BB, Bradesco, Itaú e Santander. O cenário representa uma melhora, já que há dois anos o Bradesco não fazia essa menção. Entretanto, quatro é um número pequeno no universo de nove bancos avaliados. Ainda que os outros bancos não abordem os Princípios Orientadores da ONU, BNDES, Caixa e Safra também publicam políticas exigindo sobre o compromisso de empresas financiadas com os direitos humanos.

No geral, os bancos comunicam suas diretrizes no tema para créditos corporativos e project finance, ainda que de forma generalista. BNDES, Bradesco e Safra deixam clara a necessidade de cada uma das fases do processo de devida diligência: identificação, prevenção e mitigação de impactos nos direitos humanos. Os outros bancos mencionam a necessidade de mitigação, mas sem maiores detalhes. Todos os bancos deixam de ter um desempenho melhor por não evidenciarem ou minuciarem suas políticas nas categorias de gestão de recursos.

Quer saber mais? Leia o relatório completo aqui

 

Caro cliente de banco, você tem o poder, participe!

Nos ajude a engajar e melhorar as políticas e práticas dos bancos brasileiros. Compare o desempenho do seu banco com o de seus concorrentes. Se você está insatisfeito, notifique aqui seu banco. Ou porque não mudar para um banco melhor? Participe!

Obrigado por compartilhar

Sua mensagem foi enviada com sucesso

×